top of page
Blog Advocacia Médica.webp
  • Foto do escritorVitor Mangaravite

Receituário ilegível: Entenda o que o Código de Ética Médica diz sobre o assunto

Receituário ilegível: Entenda o que o Código de Ética Médica diz sobre o assunto

A caligrafia dos médicos é frequentemente alvo de críticas e piadas, mas o que o Código de Ética Médica tem a dizer sobre a receita médica ilegível?



Código de Ética Médica


O artigo 11 do Código de Ética Médica é claro: É proibido ao médico prescrever, atestar ou emitir laudos de forma ilegível ou secreta. Essa prática pode resultar em um processo disciplinar para o médico, já que a legibilidade é fundamental para a saúde e segurança do paciente.


Comércio de Medicamentos


A Lei Federal nº 5.991/73 também é clara. Em seu artigo 35, ela estabelece que o farmacêutico não é obrigado a atender um receituário médico que não esteja legível. Ou seja, a falta de legibilidade na receita pode prejudicar o paciente.


Alternativas


Algumas instituições de saúde e médicos passaram a adotar a prescrição eletrônica e impressa, que facilita a leitura e interpretação pelos pacientes e profissionais de saúde. No entanto, em alguns lugares do país, a caligrafia ainda é utilizada por falta de recursos. Nesse caso, é importante tomar cuidados redobrados para evitar possíveis danos à saúde do paciente.


Independentemente da realidade profissional, é importante estar atento aos detalhes e se precaver contra futuros problemas.


Dr. Vitor Mangaravite. É advogado sócio da Mangaravite Advocacia Médica, especialista em Direito Médico. Master of Law / LL.M em Direito Médico e da Saúde pela Católica Business School – UNICAP e é formado em Direito pela Universidade de Vila Velha –UVV.


bottom of page